Colégio "Glaucia Costa" - 26 anos batendo forte no coração da cidade
 
 
 
  


POR QUE ADOTAR LIVROS PARADIDÁTICOS?

Quem foi Glaúcia Costa

A adoção de livros de literatura infantil na Escola atende à necessidade do reforço de informações do material didático e promove o hábito da leitura. O acesso da criança desde pequena a diferentes títulos e autores propiciará a formação de um cidadão leitor. Dos clássicos à ficção, a emoção da leitura é uma experiência indispensável para crianças de qualquer idade.


Vamos conhecer alguns projetos de literatura infantil vivenciados nas séries iniciais do Ensino Fundamental I, no Colégio “Gláucia Costa”.


Nas turmas do 3º ano as crianças recebem a visita de Mundinho e o avô que passeiam e conversam sobre a cidade onde vivem, seus habitantes e seu passado. O livro “O tempo é feito de muitos tempos” foi escrito por MuriloCisalpino, mineiro de Belo Horizonte, professor de História, e ilustrado por Marcelo Eduardo Lélis de Oliveira, também mineiro. Os temas abordados na obra encontram-se evidenciados no material didático adotado pela Escola. Nesse sentido, destacam-se: a passagem do tempo percebida através da função do relógio e do calendário; a modificação na paisagem mostrando a ação do tempo no ambiente das pessoas e os porquês que envolvem a vinda do homem do campo para a cidade modificando a história das pessoas e dos lugares.


Para as turmas do 2º ano, futebol deixa de ser assunto só de menino e vira conserva séria. Todos na turma tem oportunidade de falar sobre as partidas de futebol nos grandes estádios, os gritos, os assovios, o medo de perder o jogo, o grito da vitória! A história narra a visita de Luiz, pela primeira vez junto com o pai, assistindo ao jogo do seu time do coração. O livro “Hoje tem futebol”, escrito por Carlos Cesar Veiga, favoreceu o enriquecimento de discussões exploradas durante o ano letivo nessa turma, como: família, amizade, espaço público e urbano destacando suas construções e ambientes.


O casamento da bruxa, escrito por Beatriz Ribeiro, com ilustrações de Suzete Armani, assusta carinhosamente as turmas do 1º ano do Ensino Fundamental. O livro apresenta uma deliciosa história de bruxa, sem problemas, pois as bruxas são como fadas, só que mais divertidas! O casamento é “badaladíssimo” com uma decoração horripilantemente linda! Os convidados, assustadores, porém, são horrivelmente elegantes. E inevitável, as crianças encantam-se com a história, recordando outros contos infantis em que aparecem bruxas. Esta aventura propicia também, situações práticas como: a preparação de “quitutes de besouros” e ainda a “feíssima” dramatizações do casamento. A experiência literária com essa obra lembra as muitas histórias com príncipes, princesas, fadas, duendes e bruxas que habitam as páginas do material didático do livro adotado nessa turma.


Muitos outros projetos de literatura infantil explorados na Escola poderiam ser citados. Afinal, hoje não podemos aceitar a ausência de livros nos ambientes em que a criança frequenta. Seja na escola ou em casa com a família, a experiência com leitura formal ou incidental é indispensável para a formação da criança. Por isso, a adoção de livros paradidáticos é uma necessidade prazerosa e pedagógica na Escola.


Professora Angelina Costa Cruz
(Coordenadora do Colégio “Gláucia Costa”)