Colégio "Glaucia Costa" - 26 anos batendo forte no coração da cidade
 
 
 
  


Essa tal felicidade

Nunca perca a oportunidade de se doar ao outro, de encantar ou de encantar-se, por amor, por amizade, por justiça ou solidariedade, o que importa é não perder a capacidade de se entusiasmar e de reconhecer no outro o seu devido valor, suas diferenças ou qualidades, afinal o mundo já anda muito complicado, é preciso viver e trazer a melhor contribuição para oferecer ao universo.


Pensando nisso, é possível entender porque há tanta grandeza nos pequenos gestos e que muitas vezes não é perceptível aos olhos de todos. A sociedade moderna impõe ao homem um modo de vida em ritmo acelerado, onde tudo é urgente, é para antes de ontem, é inadiável. Porém, como prega o ditado popular, a pressa é inimiga da perfeição e por causa dela as relações humanas se ressentem da falta de sensibilidade


Então caro leitor, os pequenos gestos são esquecidos ou deixados de lado em nome de "compromissos" urgentes ou de um novo estilo de vida que chegou com o computador e tornou a comunicação virtual, levando as pessoas ao isolamento, daí não há mais encontros reais, muitos se fecham dentro de suas próprias vidas e não se lembram de regar diariamente suas relações com pequenos, mas eficientes gestos; um telefonema de saudade no meio da noite, uma carta enviada pelo correio, uma flor, um carinho especial, uma palavra, um cafezinho, um presente inesperado, um bate papo, um passeio, uma visita tantas vezes adiada, ou aquele abraço. Gestos simples, mas acredite, que fazem toda a diferença.


Assim, se resgata uma sensibilidade adormecida que precisa se manifestar para libertar o homem da rotina desgastante, mecânica, que escraviza e que deixa tudo sem cor, sem poesia, sem verdade; e antes que o caro leitor conclua apressadamente que não faço mais parte desse tempo e que tudo isso caiu de moda mesmo, reafirmo a necessidade dessa prática no cotidiano. As pessoas, realmente, precisam de atenção e cuidado.


Desse modo, se constroem saudáveis relações humanas e para que as mesmas se mantenham fortes e vivas é necessário investir na sensibilidade, pois a felicidade pode estar na sabedoria dos pequenos gestos, e que por isso mesmo, não pode ser decretada por lei como querem alguns políticos brasileiros, mas ela também pode vir junto com emprego, saúde, educação, cultura, transporte, saneamento básico e tudo mais.


Portanto, abaixo a demagogia! A tal felicidade pode ser isso ou mais que isso; está dentro de cada um, na forma de como cada indivíduo se relaciona com o mundo a seu redor, no prestígio e no valor que oferece às suas relações. A felicidade se esconde atrás de pequenos gestos e para descobrir basta não perder a ternura.


Artigo publicado no Jornal Meio Norte
23 de outubro de 2010 / Teresina – PI
ANGELY COSTA CRUZ Bacharel em Biblioteconomia – UESPI / PI
Especialista em Leitura e Produção Textual – IFET/ PI
Coordenadora do Colégio Gláucia Costa
Bibliotecária do Centro de Estudos Superiores de Timon /
Universidade Estadual do Maranhão – CESTI-UEMA