Colégio "Glaucia Costa" - 26 anos batendo forte no coração da cidade
 
 
 
  


Na sintonia do Rei do baião

Um encontro musical inédito, uma gravação de 1944, reuniu dois dos maiores ícones da cultura nacional: Luís Gonzaga, rei da música nordestina, e Chico Anísio (interpretando seu inesquecível Professor Raimundo), mestre do humor na televisão brasileira, surpreendem e emocionam o ouvinte atual ao cantarem juntos a “Quadrilha Choradeira”, uma relíquia musical que se ouve em Teresina através do programa radiofônico “Na Cabana do Rei”, apresentado por Ana Maria Silva, na Rádio Pioneira de Teresina. O programa é diário e emociona ouvintes de todas as idades ao apresentar os grandes sucessos, mas também relíquias e raridades como essa, do cancioneiro musical do Rei do baião.


E essa sintonia com Luís Gonzaga não é só no período junino. Em Teresina, além deste programa na rádio AM, há ainda o programa “A Hora do Rei do Baião”, apresentado pelo professor Wilson Seraine, na Rádio FM Cultura de Teresina, que mostra todas as quintas, com reprise aos domingos, toda a abrangência do universo musical de Luís Gonzaga: clássicos, duetos, compositores, homenagens, reclames, jingles, enfim, todo o repertório da obra inesquecível do rei Luís do Sertão, que por aqui também foi homenageado com a formação de uma orquestra sanfônica.


O professor Wilson Seraine, grande pesquisador da obra de Luís Gonzaga no Piauí, movimenta Teresina e os milhares de fãs do Rei do baião, com a 1ª Colônia Gonzagueana do Brasil, da qual é presidente; em agosto é a Procissão das Sanfonas que agita a cidade numa bela homenagem a Luís Gonzaga e a música nordestina. E em dezembro, por ocasião da data de nascimento do cantor, no dia de Santa Luzia, uma Missa dos Sanfoneiros emociona fãs e seguidores que chegam de toda a região. E assim, a sintonia com o Rei do baião permanece e se fortalece a cada período junino, que é tão ou mais importante que o próprio Natal, para os nordestinos. É durante as festas juninas que a cultura nordestina se impõe, vibra e inunda de emoção os corações nordestinos.


Por isso, não há seca ou crise econômica que leve a alegria do sertão em tempos de São João; nossas raízes estão em festa em todo o Nordeste: em Caruaru (PE), Campina Grande (PA), nas cidades piauienses, maranhenses, sergipanas, alagoanas, cearenses, baianas, ou riograndenses, enfim, toda a região reverencia sua cultura e o repertório musical de Luís Gonzaga, agora levado às multidões por meio de seus herdeiros musicais, novos cantores e compositores, os novos talentos da música nordestina. Além da música, as comidas típicas, os santos, os figurinos e os adereços tornam o São João um espetáculo único e originalmente nordestino.


É desse modo que o grande inventor da música junina brasileira, e essencialmente nordestina, continua, portanto, a emocionar gerações. A sintonia com Luís Gonzaga, com as tradições juninas e as raízes do sertão, se perpetua através do rádio e dos festejos juninos em cidades, escolas ou em grandes arenas especialmente montadas para a festa. É balão, é fogueira, é xaxado, é baião. Tudo, para homenagear Santo Antônio, São Pedro e São João. “Olha pro céu, meu amor/Vê como ele está lindo/Olha praquele balão multicor/Como no céu vai sumindo (...) Foi numa noite igual a esta/Que tu me deste o coração/O céu estava assim em festa/Pois era noite de São João...”


LILI CAVALCANTI
(PSEUDÔNIMO DE ANGELY COSTA CRUZ – ESCRITORA – PROFESSORA E BIBLIOTECÁRIA DO COLÉGIO “GLÁUCIA COSTA”
PUBLICADO EM: 16/06/2015 – JORNAL MEIO NORTE (Teresina/ PI)